Header Ads

ad

“O que for bom para o povo terá meu apoio”, diz Braide na Câmara Federal

Em seu primeiro pronunciamento na Câmara dos Deputados, Eduardo Braide (PMN) destacou, nesta terça-feira (5), a frente de seu trabalho como deputado federal.

“Chegamos a esta Casa com a ideia firme de que os interesses dos maranhenses que nos trouxeram até aqui, sempre estarão acima de qualquer posição partidária. Esse foi o recado que as urnas nos deram e é o anseio da população. Seremos a favor das matérias que forem boas para o povo”, afirmou Braide.

O deputado ressaltou ainda que irá trabalhar pela redução do desemprego no Brasil e no Maranhão. Para Braide, o tema passa pela aprovação da reforma tributária.

“Eu vejo temas polêmicos passarem por esta tribuna, mas não posso deixar de abordar a questão do desemprego. E vejo isso com frequência no Maranhão, ao andar pelas ruas de São Luís, conversando com comerciantes do interior do Estado. É fundamental que esta Casa dê uma resposta efetiva para a população e essa resposta certamente passa pela reforma tributária. Ninguém aguenta mais pagar tantos impostos. A partir do momento que o Congresso Nacional entregar a reforma tributária para o país, vamos corrigir essas injustiças no Brasil. Temos que aprovar a reforma tributária. É assim que iremos gerar emprego e renda de forma mais rápida para a população”, explicou o deputado.

Ao fim do discurso, Eduardo Braide fez questão de agradecer os mais de 189 mil maranhenses que o elegeram como deputado federal.

“Não posso deixar esta tribuna sem agradecer aos milhares de maranhenses que me fizeram deputado federal do Maranhão. Não posso deixar de citar a minha cidade de São Luís, que me deu cerca de 26% dos votos válidos. Trago o sentimento de cada um deles para que aqui, nesta Casa, seja a voz que vai continuar trabalhando pelo Estado e pelo Brasil acima de interesses partidários. É por isso que finalizo citando o poeta Ferreira Gullar: ‘Meu povo e meu poema crescem juntos como cresce no fruto a árvore nova’”, finalizou o deputado.

Nenhum comentário